Porto4Ageing


áreas temáticas

Cuidados e Cura
Envelhecimento Ativo e Vida Independente
Prevenção, Rastreio, Diagnóstico Precoce
Outros

parceiros

apoio


notícias & eventos

U.Porto quer encorajar cientistas a partilharem bases de dados

A Universidade do Porto, através do centro Porto4Ageing, é uma das 17 instituições europeias que integram o consórcio FAIR4Health – “Improving Health Research in EU through FAIR Data”, um projeto que tem como objetivo facilitar e encorajar a comunidade científica europeia a partilhar e reutilizar bases de dados resultantes de projetos de investigação.

Financiado pela Comissão Europeia através do programa Horizonte 2020, este projeto contará com um investimento de quase três milhões de euros para desenvolver uma plataforma online que juntará diversas bases de dados provenientes de outros projetos de investigação na área da saúde. Reunindo dados de cerca de seis milhões de pessoas a nível europeu, essa plataforma será de acesso livre a investigadores e empresas.

Mais informação em: https://noticias.up.pt/u-porto-quer-encorajar-cientistas-a-partilharem-bases-de-dados/?fbclid=IwAR2DkZz2cWgZJVKhLCnxAN_pWt5cx60aeadQWBBGJhMP0GMjtie1kvnwIZc

 

2019-01-11

Universidade do Porto quer trazer os idosos para o mundo digital

Chama-se ICTskills4All –  Empowering old adults Citizens for a Digital world , é um projeto internacional liderado pela Universidade do Porto e “nasceu” oficialmente esta sexta-feira com uma missãomelhorar a confiança, a segurança online e as competências digitais da população idosa.

Facto: Vivemos numa sociedade cada vez mais envelhecida. Facto: As tecnologias têm um papel cada vez mais importante no modo como vivemos e nos relacionamos. Facto: Estima-se que cerca de 35% da  população idosa, tanto em Portugal como no resto da Europa, não tenha qualquer competência digital. Facto: “Esta limitação aumenta o sentimento de solidão e isolamento deste segmento da população, assim como a dificuldade no acesso a informação e serviços,  incluindo os serviços de saúde, a perda de autonomia e a aumento do sentimento de incapacidade e inadaptação à sociedade”, alerta Elísio Costa, professor da Faculdade de Farmácia da U.Porto (FFUP) e coordenador do projeto.

É precisamente para contrariar este cenário que o ICTskills4All se propõe então a “apostar na melhoria das competências digitais” dos idosos, “atuando ao nível europeu e de forma concertada”. Segundo Elísio Costa, espera-se desta forma “contribuir para a melhoria da sua qualidade de vida, autonomia e maior adaptação à sociedade, o que se reveste de extrema importância face ao aumento da esperança média de vida”.

O projeto, desenvolvido no âmbito do Porto4Ageing+ – Centro de Competências em Envelhecimento Ativo e Saudável da U.Porto, vai decorrer ao longo dos próximos dois anos e contará com com a participação de 160 idosos de cinco países europeus (Portugal, Polónia, Lituânia, Reino Unido e Bélgica). Entre as atividades a desenvolver inclui-se a promoção de cursos presenciais dirigidos à população que não tem quaisquer competências digitais e o lançamento de uma plataforma online com cursos
– que remetem para situações particulares do dia a dia – dirigidos aos idosos com algumas competências.

“Nestas duas componentes vamos testar qual a melhor metodologia a utilizar, se uma metodologia intergeracional, onde são os jovens universitários a auxiliar os idosos, ou se uma metodologia a pares, ou seja, onde os idosos são auxiliados por colegas que tem mais competências”, explica Elísio Costa.

O projeto ICTskills4All é financiado pela Ação Chave 2 do programa Erasmus+ (Parcerias Estratégicas para o setor da Educação de Adultos) com um total de 277.620 euros. Para além da U.Porto, instituição coordenadora,  o projeto conta ainda com a colaboração do Telecentre Europe (Bélgica), do Cybermoon Services (Reino Unido), da HIPOKAMP (Polónia) e da Alliance Senior Active Riga (Letónia).

 

 

2018-11-12